A educação da sociedade imperial

Livro - capa

A educação da sociedade imperial:
moral, religião e forma social na modernidade oitocentista

Felipe Ziotti Narita
Ed. Prismas, 2017 [ 423 p. ]
ISBN 978-85-5507-701-2
Col. Leituras de Brasil: histórias e historiografias
(coord. Marcia Naxara & Virginia Camilotti, Unesp)

Livraria Cultura   Amazon   Livraria Saraiva
Martins Fontes Paulista   Fnac  Folha

“O século XIX imperial foi objeto de numerosa produção historiográfica elaborada por diferentes escolas ou, no limite, fruto de abordagens historiográficas variadas, uma vez que esse é o tempo de fundação do país enquanto nação e sociedade politicamente autônoma. Por isso, o eixo de análise proposto por Felipe Ziotti Narita apresenta uma novidade: a infância, sua moralidade e sua educação como temas pungentes de debates intelectuais e de propostas para a formação da sociedade brasileira.”
:: Sérgio Cesar da Fonseca, USP

“Felipe Ziotti Narita assina um estudo de envergadura que marcará data – e por muitas razões. Em primeiro lugar, sua análise é estruturada em torno de teses fortes e particularmente bem argumentadas. A mais importante – que percorre toda a obra – analisa o entrecruzamento entre moral escolar e religião na educação do aluno-cidadão, que deveria assumir seu exato lugar de obediência na sociedade imperial dos anos 1850-1880. O autor demonstra que esses mecanismos de transformação social resultam muito mais de processos indissociáveis de reformas políticas e educacionais ocorridas no Império do que de uma herança colonial ou de uma auto-ocidentalização.”
:: Alexandre Fontaine, Universidade de Lausanne (Suíça) e ENS-Ulm (França)

“O livro de Felipe Ziotti Narita oferece ao leitor uma rica e exaustiva análise das relações entre educação, moral e religião no Brasil do Segundo Reinado, ao passo que lança luz sobre questões e conceitos cruciais para a compreensão da história brasileira e latino-americana do século XIX: modernidade, secularização, construção do Estado e ‘civilização’.”
:: Roberto Di Stefano, Universidade de Buenos Aires (Argentina)

“Investigando não a historiografia, mas o pensamento político do período, o autor dedicou-se a identificar o lugar da infância na construção da ordem moral durante o Império. Sob a variedade de fontes e apesar das mudanças de um período a outro da política no Império, o foco na ideia de civilização da infância e na produção acerca dela permitirá ao leitor atentar para uma lenta e gradual composição do que o autor chama aqui de gramática moral do Império, resultado do trabalho de algumas gerações de políticos, professores e intelectuais.”
:: André Luiz Paulilo, Unicamp

 

© Felipe Ziotti Narita | 2017